O preconceito com as meninas que andam de skate

Confiram abaixo, as opiniões de algumas meninas skatistas sobre este assunto.

–  O QUE VOCÊS ACHAM SOBRE O PRECONCEITO COM AS MENINAS QUE ANDAM DE SKATE ?

Babi Nogueira: Eu acho muito chato, pois as mulheres podem mostrar suas capacidades, de dentro pra fora e com muita determinação, seja aonde for! No skate cada vez mais estamos nos destacando e isso quer dizer que  estamos fazendo nosso trabalho muito bem, não há necessidade para tanto preconceito se há espaço pra todos, só penso que se eles implicam tanto com nós, é porque estamos incomodando, e quando se incomoda é porque estamos fazendo algo certo!

Ana Paula Negrão: Acredito que o preconceito vem da gente mesmo. O preconceito existe? Sim e não, vamos andar de skate e não ter preconceito, isso que eu acredito. Os meninos do skate geralmente adoram as meninas que andam de skate. Então vai de nós mesmos de levarmos este preconceito para frente…

Paula Gnomo: Acho que não existe preconceito, principalmente nos dias de hoje. Antes, até existia um certo olhar diferente, não de preconceito, mas um olhar de que éramos apenas um enfeite de festa. Com o tempo ganhamos nosso espaço, e estamos aí, no mesmo nível. sem preconceitos.

Bia Sodré: Acho que não tem nada a ver, as meninas estão cada vez mais conquistando seu espaço e isso já não é de hoje, temos muitas representando tanto aqui no Brasil quanto na gringa, e podemos ver que os meninos gostam e incentivam também, estamos chegando lá !

Renatinha Paschini: Os homens são muito machistas e muitos deles não conseguem controlar este instinto, assim eles acabam vendo a mulher skatista como um concorrente e não como uma companheira para a sessão. Eu entendo esta posição, não aceito, imponho e conquisto meu espaço sempre com respeito!

Christie Aleixo: Isso existe ainda? Meu Deus, acho que estou vivendo fora da realidade. Não sofro preconceito de quem é do skate, mas existe sim, curiosidade geral, mas sempre de pessoas que chegaram agora e não tem conhecimento que existem MUITAS mulheres envolvidas com o negócio!

Belinha: Eu acho que não tem nada a ver, nós meninas só queremos o nosso espaço, igual a eles que têm o espaço deles também!

Rosemary Santos “Mary Jane”: Ridículo, acho uma forma de machismo bobo. Nos tempos de hoje, o esporte está tanto para homens quanto para mulheres, e já conseguimos provar que somos tão boas quanto eles. Não preciso nem citar nomes de meninas que se destacaram na categoria profissional e que estão representando muito bem o esporte.

Karen Jonz: Acho que quando o preconceito rola, é por falta de informacão. E homens que não gostam de garotas skatistas, pra mim não valem a pena.

–  JÁ SOFREU PRECONCEITO DE ALGUM MENINO ? 

Babi Nogueira: Sim… uma vez, quando eu fui andar em uma praça com amigos do skate, eu ouvi o moleque dizer que ali não era meu lugar, porque aquele espaço era para homem e nunca seria para nós mulheres, e que meu lugar era ficar me enfeitando e desfilando!

Ana Paula Negrão: Sim… um vez eu e a Giuliana Ricomini estávamos andando de skate no centro de São Paulo, e um judeu barbudo começou nos xingar e falar horrores da gente.. Nós nem demos bola mas ele foi se aproximando e levantou a Bíblia e gritou: “Jesus Cristo era mais elegante do que vocês… Onde já se viu mulheres vestidas assim e andando de skate?” saímos correndo e dando muito risada porque isso é ato de louco né?

Paula Gnomo: Preconceito em relação a eu ser skatista não. A única coisa chata que acontece é que tem uns e outros que se acham donos de alguma pista e praticamente dominam o local, deixando os outros sem espaço. Só que isso, acredito eu, não ocorre apenas com meninas, mas com outros meninos, como iniciantes, pessoal de fora.

Bia Sodré: Nunca sofri nenhum tipo de preconceito no skate, comigo os meninos sempre foram muito legais e sempre me ajudam e me incentivam a aprender as manobras e evoluir, e além disso tenho o meu irmão que anda de skate também.

Renatinha Paschini: Já sofri muito preconceito, como eu ando de skate há 27 anos, no início era bem pior, eu não tinha espaço, e nem ajuda ou dicas para aprender as manobras. Hoje diminuiu muito, mas ainda rola ! Uma vez fui andar no Carandiru e os locais falaram “ai que saco, já chegou uma mina pra atrapalhar!”, eu ouvi e tive que dar um role nervoso pra colocar esses “sem noção” no seu devido lugar!

Chris Aleixo: Nunca vi nada “deselegante” com as meninas, dentro dessa ideia de preconceito. O que rola, no caso em pista, é aquela fome de dropar e muitas vezes se a menina não se impõe, vai ficar fora da rodada, mas ai é questão de atitude da mina. Na ladeira é a mesma coisa, se o cara vem na descida mais rápido e de alguma forma, desrespeita a descida de quem está na frente, é o mesmo comportamento, atitude da mina que tem que se impor. E qual é a melhor forma de fazer isto, sem brigar e sem perder a moral? Dica para as minas: ANDE DE SKATE!

Belinha: Eu já sofri muito preconceito sim, já vi muitos garotos falarem que as minas são tudo “sapatonas” ,que nós somos todas rodadas na mão dos garotos… Acho que não tem nada a ver da parte deles falarem isso das meninas!

Rosemary Santos “Mary Jane”: Sim… nos anos 90, foi uma época muito difícil, ainda mais que no RJ, o skate feminino era novidade. Fui chamada de vários nomes que você possa imaginar, mas sempre andei de cabeça erguida, sempre responsável, estudava e trabalhava. Quando fazia enfermagem, ia para o plantão com skate toda de branco, e meus colegas adoravam. Mas no colégio era pior, pois a direção da escola achava que eu era drogada, sofri bullying, mas nunca deixei isso me abater, o importante é que mostrei ser uma ótima pessoa e uma excelente profissional, calei a boca de muita gente. Skate é estilo de vida e liberdade de expressão.

Karen Jonz: Já sofri preconceito sim, mas de forma indireta. E pra mim não faz sentido nenhum. Muito provavelmente esse cara é um infeliz. Tem gente que odeia gratuitamente, e eu só quero distância desse tipo de pessoa.Sinceramente, não fazem diferenca na minha vida. Prefiro me juntar com as pessoas positivas, afim de somar e fazer o esporte crescer.

Por Gabriela Saes
Mais em: http://bruxinhagabysaes.blogspot.com.br/

One Comment

  1. eu ando de skate tenho 10 anso e acho uma bobera quemfala meninas nao podem andar de skate me enrrita ai q eu vo l e fasso msm e outra skate não é crime fui a primeira menina em londrina a andar numa pista de skate chamada londrina skte park isso me faz orgulhosa 🙂

Deixe um comentário